Dia de folga de Ferris Bueller –  Curtindo a Vida Adoidado. Uma de um punhado de filmes que personifica a década de 1980, O dia de folga de Ferris Bueller capturou a imaginação de crianças do ensino secundário de todo os Estados Unidos, enquanto sonhavam com a imitar a habilidade do personagem do título para manipular as figuras de autoridade em sua vida. Escrito e dirigido por John Hughes, o cérebro de The Breakfast Club, 1985) e muitos outros clássicos de culto dos anos 80, Ferris Filme curtindo a vida adoidado lançou a carreira de Matthew Broderick para outra dimensão. De fato, Broderick recebeu uma indicação ao Globo de Ouro por sua destacada atuação. É uma indicação mais do que digna de menção, porque é a força do personagem Ferris Bueller que fez deste filme um grande sucesso.

Resumo do Filme – Curtindo a Vida Adoidado

resumo-do-filme-Curtindo-a-vida-adoidadoO dia de folga de Ferris Bueller segue um dia na vida de Ferris Bueller, estudante do último ano do ensino médio. Ao se aproximar da graduação, está decidido a viver sua vida ao máximo (mas de preferência fora dos limites da escola). Assim que Ferris é tirar um dia de férias planejado com sua namorada Sloane (Mia Sara), e depois de um pouco de persuasão, seu melhor amigo Cameron (Alan Ruck) se une a eles. Contra o seu melhor juízo de Cameron, os três levam ao precioso Ferrari de seu pai, a ventosa cidade de Chicago para um dia de boa comida, beisebol, museus e diversão espontânea. Enquanto isso, Ferris pode ter enganado com sucesso a seus pais, fazendo-os acreditar que está mortalmente doente, mas o diretor da escola secundária, Ed Rooney (Jeffrey Jones) e a inveja da irmã de Ferris, Jeanie (Jennifer Grey) não são tão fáceis. Com a intenção de quebrar a sua imagem de menino de ouro, cada um está em seu caminho, ansioso por expor sua rede de engano, de uma vez por todas.

Com uma série de cenas hilárias, como a fraca tentativa de Cameron de reverter a quilometragem do Ferrari de seu pai, o filme ganha sua reputação como um clássico de elite dos anos 80, a par de sucessos como Back To The Future (1985), The Breakfast Club, 1985), e Weird Science (1985). O filme tem seus momentos fora da parede, como quando Ferris a cargo de um desfile e começa a cantar enquanto milhares de espectadores dançam em sincronia. Não seria tal seqüência em um filme contemporânea, e ao igual que em cenas semelhantes de The Blues Brothers, tende a datar o filme. Mas a força de Ferry Filme curtindo a vida adoidado não é o seu humor atemporal, mas a simpatia do próprio Ferris Bueller. Ferris é um tipo porreiro. Não despreza ninguém, apenas busca o melhor das pessoas. E o que é mais importante, manipula seus pais, para que pensem que é a encarnação perfeita da inocência, enquanto se salta a escola e vai passear. Todas as crianças dos anos 80 queriam ser Ferris Bueller, e o grande atrativo de sua filosofia de vida é atemporal, por isso que o filme continua tendo sucesso com cada nova geração.

A trilha sonora, que sem dúvida é uma das mais diversas e interessantes de sua época, consolida ainda mais o status do filme, como um marco de sua década. Onde mais você pode encontrar os Beatles, Wayne Newton, o tema Da Guerra das Galáxias, e o clássico dos anos 80’Oh Yeah’ de Yello, tudo embrulhado em um filme que se move para a perfeição de uma cena para a seguinte? Se a isto somarmos algumas futuras estrelas de Hollywood como Kristy Swanson, Ben Stein e Charlie Sheen (que permaneceram acordados durante mais de dois dias para poder conseguir a expressão drogada desejada para seu personagem), Ferris Filme curtindo a vida adoidado se transforma num clássico de culto por excelência. Mesmo depois de duas décadas, este filme é tão divertido como quando foi lançado.

Veja lista de resumos e resenhas de outros filmes aqui.